Editor do Website / Membro Titular da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU). CREMERS 28361 / RQE 20242
 
 
   
ENTRE EM CONTATO
Fone: (51) 3378.9995
America Business Square
Rua Soledade, 569 Conj. 907B
Três Figueiras - 90470-340
 
 
 
DOENÇAS E MODALIDADES DE TRATAMENTO
Aumento Benigno da Próstata

O aumento benigno da próstata, também denominado de “Hiperplasia Prostática Benigna“ ou “HPB”, é uma condição intimamente relacionada ao envelhecimento do homem. Pode acometer até 90% dos homens com idade superior a 80 anos.

Os sintomas do trato urinário relacionados à HPB podem causar prejuízo significativo à qualidade de vida dos pacientes. Dentre os sintomas podemos citar: dificuldade para iniciar a micção (principalmente pela manhã), jato urinário fraco, sensação de esvaziamento incompleto da bexiga e necessidade de acordar à noite para urinar.

Sintomas urinários severos podem ocorrer em até 30% dos homens com mais de 65 anos.

DEFINIÇÃO

A próstata um órgão exclusivo do sexo masculino. Está localizada abaixo da bexiga, na frente do reto. No homem adulto, a próstata tem o tamanho aproximado de uma ameixa, pesando cerca de 20 gramas. Ela envolve a uretra, que conduz para fora a urina que se acumula na bexiga.

A próstata é uma glândula que faz parte do sistema reprodutor do homem, produzindo (secretando) um líquido que se junta à secreção da vesícula seminal para formar o sêmen (esperma) e auxiliar no transporte dos espermatozóides, produzidos nos testículos até a sua ejaculação durante o orgasmo.

A hiperplasia prostática benigna (HPB) é uma condição médica caracterizada pelo aumento benigno da próstata que normalmente se inicia em homens com mais de 40 anos.

A HPB é uma doença muito prevalente. Cerca de 60% dos pacientes na sétima década de vida apresentam sintomas urinário sugestivos de HPB. A proporção de homens com sintomas urinários moderados a severos duplica a cada década de vida. O resultado preliminar de um recente estudo epidemiológico europeu sobre a prevalência de sintomas urinários mostrou que aproximadamente 30% dos homens alemães entre 50-80 anos apresentaram sintomas moderados a severos.

Segundo os estudos publicados sobre HPB, esta pode ser considerada uma doença progressiva. O grupo de pacientes com maior risco de progressão pode ser identificado através de alguns fatores de risco, como níveis aumentados do antígeno prostático específico (PSA) e volume prostático. A identificação destes pacientes em risco aumentado de progressão e o início de tratamento preventivo precoce devem ser considerados.

CAUSAS

A etiologia da HPB é multifatorial. Atualmente não há evidências fortes de que o tabagismo, a vasectomia, a obesidade e o consumo excessivo de álcool possam representar fatores de risco para o desenvolvimento de HPB clínica . Doenças crônicas, como a hipertensão arterial sistêmica e o diabetes mellitus, tem sido estudadas como fatores de risco para a ocorrência de HPB, porém, dada a prevalência dessas condições na população idosa, é difícil afastar possíveis fatores de confusão.

Os únicos dois fatores de risco bem estabelecidos para a ocorrência de HPB são a idade e o status hormonal. O papel crucial dos testículos para o desenvolvimento da doença é conhecido há mais de um século.

TRATAMENTO

Três categorias de severidade de sintomas foram descritas:

  1. Sintomas leves
  2. Sintomas moderados
  3. Sintomas severos

Pacientes com sintomas leves, sem prejuízo à qualidade de vida, podem ser simplesmente observados. Pacientes com sintomas moderados poderiam se beneficiar de tratamento com medicamentos, enquanto que pacientes com sintomas severos ou refratários poderiam se beneficiar de tratamento cirúrgico (prostatectomia / ressecção transuretral da próstata).

TRATAMENTO MEDICAMENTOSO

Existem duas principais classes de medicamentos utilizados para tratar homens com HPB:

  • Alfa-bloquedores (doxazosina, tamsulosina, alfuzosina, etc)
  • Inibidores da enzima 5-alfa-redutase (finasterida e dutasterida)

Os alfa-bloqueadores atuam provendo o relaxamento do músculo liso existente na saída da bexiga e na uretra prostática (parte do canal da urina que atravessa a próstata). Estes medicamentos facilitam a micção e melhoram a força do jato urinário. São frequentemente utilizados no manejo inicial do paciente com HPB, contudo não causam redução do volume da próstata.

Os inibidores da 5-alfa-redutase podem reduzir o tamanho da próstata em até 25% após 6 a 12 meses de tratamento. Neste período, espera-se que os níveis do PSA possam reduzir em 50%. Caso isso não ocorra, deve-se considerar a realização de uma biópsia de próstata. Estes medicamentos são indicados para homens com próstatas volumosa (> 30 a 40 gramas) e podem evitar a necessidade de cirurgia no futuro.

TRATAMENTO CIRÚRGICO

O tratamento cirúrgico é reservado para homens com sintomas severos e refratários ao uso de medicamentos. Também deve ser considerado para homens com retenção urinária (com necessidade de sondagem vesical), para os casos de infecções ou sangramento recorrentes e também para pacientes que formam cálculos (“pedras”) no interior da bexiga. A cirurgia para HPB pode ser feita através da uretra, a chamada RTU ou ressecção transuretral, ou por via aberta (“prostatectomia supra-púbica”).

Em geral, a RTU é indicada quando a próstata tem volume inferior a 80 gramas, enquanto que a prostatectomia supra-púbica é reservada para próstatas mais volumosas.

A cirurgia para HPB não visa remover toda a próstata, mas sim a sua porção interna (que causa a obstrução ao fluxo urinário).

Mais recentemente surgiram novas tecnologias para o tratamento cirúrgico da HPB: o laser e a vaporização prostática (Plasma Button). Estas novas tecnologias são especialmente importantes para homens com problemas de coagulação ou que usam anticoagulantes, pois reduzem o risco de sangramento durante e após a cirurgia.

Tags: Hiperplasia Prostática Benigna | HPB | Alfa-bloquedores | Inibidores | RTU |
 
 
         
AVALIE SEUS SINTOMAS
 

Tabelas de Partin

IPSS - International Prostatic Symptom Score

Escala de Sintomas do Envelhecimento Masculino

Nomograma Sobrevida Livre de Recidiva Bioquímica após Prostatectomia Radical Retropúbica

Questionário de Avaliação de Bexiga Hiperativa - OAB - V8

Diário Miccional (Modelo)

AGENDA DE EVENTOS
 
31/12/2014 - 3RD INTERNATIONAL NEURO-UROLOGY MEETING - ZURIQUE/SUÍÇA

"O Dr. Márcio Averbeck foi convidado a palestrar no congresso realizado pela Swiss Continence Foundation (Fundação Suíça de Continência) na Universidade de Zurich no final do mês de Agosto/2014. O Dr. Márcio foi o representante da América Latina neste importante evento e palestrou sobre "cateteterismo vesical" e sobre "tratamento da impotência sexual em pacientes lesados medulares"."

 

01/08/2014 - CONGRESSO COLOMBIANO DE UROLOGIA

"O Dr. Márcio Averbeck participou como palestrante no Congresso Colombiano de Urologia, realizado em Cartagena de las Índias no mês de agosto de 2014. O tema da palestra foi o tratamento da incontinência urinária masculina, incluindo o implante de slings e do esfíncter urinário artificial. O Dr. Márcio foi honrado com o título de "Membro Correspondente Estrangeiro" da Sociedade Colombiana de Urologia, recebendo certificação das mãos do Dr. Maurício Plata - Presidente da S.C.U., em cerimônia oficial no dia 16/08/2014."

 

 

 

         
 
Dr. Márcio Augusto Averbeck - Todos os Direitos Reservados