Editor do Website / Membro Titular da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU). CREMERS 28361 / RQE 20242
 
 
   
ENTRE EM CONTATO
Fone: (51) 3378.9995
America Business Square
Rua Soledade, 569 Conj. 907B
Três Figueiras - 90470-340
 
 
 
DOENÇAS E MODALIDADES DE TRATAMENTO
Casamento faz bem à saúde masculina

Casamento faz bem à saúde masculina

Uma extensa pesquisa avaliou mais de 120 mil homens americanos e evidenciou um fato interessante: homens casados são mais saudáveis do que homens que nunca casaram ou, alternativamente, tiveram divórcio ou ficaram viúvos.

Outros dados interessantes da pesquisa:

  • Homens casados também viveram mais tempo do que homens sem companheiras
  • Homens que casaram após os 25 anos de idade obtiveram maior benefício do que homens que se casam mais precocemente
  • Quanto mais tempo durou o casamento, maior foi a sobrevida em comparação à população não-casada

Mas será que o casamento é responsável mesmo pela melhora na saúde e na sobrevida do homem?

Casamento e doença cardiovascular

Apesar de ser difícil afirmar com certeza, o casamento parece ter influência direta na saúde masculina. Cientistas japoneses demonstraram que homens não-casados tiveram 3x mais chance de morrer de doença cardiovascular do que homens casados. Este achado também foi confirmado por um estudo americano, que avaliou 3.682 adultos nascidos no condado de Framingham por um período superior a 10 anos. Após considerar os fatores de risco tradicionais para doença cardiovascular (idade, obesidade, tabagismo, hipertensão arterial, diabetes e colesterol alto), os pesquisadores confirmaram que homens casados tiveram 46% menos chance de morte do que homens não-casados.

A doença arterial coronariana e a hipertensão arterial sistêmica estão entre as causas mais importantes de insuficiência cardíaca (“coração fraco” ou “coração dilatado”). Esta condição crônica resulta da falência do músculo cardíaco em bombear o sangue para atender as necessidades dos órgãos e tecidos do corpo humano. Mesmo após o desenvolvimento desta doença, os cientistas americanos puderam demonstrar que um casamento bem sucedido melhorou a sobrevida dos pacientes.

Casamento e câncer

A relação bem estabelecida entre estresse, depressão, isolamento social e doença cardiovascular facilita a compreensão de como um bom casamento pode proteger o coração. Contudo, o surgimento de câncer é um aspecto diferente. Atualmente, há poucas evidências sugerindo que um casamento bem sucedido possa reduzir o risco geral de desenvolver câncer; fatores genéticos e ambientais podem ter uma influência mais importante na gênese da doença. Mesmo assim, o casamento pode influenciar na sobrevida do paciente. Por exemplo, um estudo que envolveu mais de 27 mil pacientes com câncer mostrou que indivíduos não-casados tiveram mais chance de ter doença avançada no momento do diagnóstico do que homens casados. Indivíduos não-casados também tiveram menor probabilidade de receber tratamento. Quando foram analisados os indivíduos que receberam tratamento para o câncer, verificou-se que o casamento esteve associado com uma sobrevida melhor.

A possibilidade de desenvolver câncer de próstata representa uma particular preocupação para os homens. Para entender melhor como o casamento afeta a sobrevida dos pacientes, cientistas da Universidade de Miami investigaram 143.063 homens com esta doença. Em um período de acompanhamento superior a 17 anos, homens casados sobreviveram mais (média de 69 meses) do que homens separados ou divorciados (média de 38 meses). Os homens que nunca se casaram tiveram uma sobrevida intermediária (49 meses). Achados similares foram demonstrados por pesquisadores da Universidade de Harvard, que avaliaram pacientes com câncer de bexiga.

Importância da família

O núcleo familiar é a base estrutural do indivíduo. É nesse ambiente que aprendemos como enfrentar as situações desde que nascemos. Fortalecemos nosso caráter, recebemos amor e estabelecemos nossos vínculos. A família, seja ela do tamanho que for, nos orienta em todos os momentos. É por essa razão que seu papel na prevenção das doenças é muito importante. As mulheres já recebem orientações desde a infância de como se cuidar. Já os homens acabam por deixar de lado as consultas médicas e o check-up. Este é um dos aspectos que pode ajudar a compreender os benefícios que uma união conjugal pode trazer ao homem. Em muitas circunstâncias a esposa faz o companheiro buscar auxílio médico periódico para fazer a prevenção das doenças. O casamento pode sim fazer o homem viver mais !

Dr. Márcio Averbeck

Médico Urologista

CREMERS 28361



Tags: Casamento e doença cardiovascular | Casamento e câncer | estresse | depressão | isolamento social | Importância da família |
 
 
         
AVALIE SEUS SINTOMAS
 

Tabelas de Partin

IPSS - International Prostatic Symptom Score

Escala de Sintomas do Envelhecimento Masculino

Nomograma Sobrevida Livre de Recidiva Bioquímica após Prostatectomia Radical Retropúbica

Questionário de Avaliação de Bexiga Hiperativa - OAB - V8

Diário Miccional (Modelo)

AGENDA DE EVENTOS
 
31/12/2014 - 3RD INTERNATIONAL NEURO-UROLOGY MEETING - ZURIQUE/SUÍÇA

"O Dr. Márcio Averbeck foi convidado a palestrar no congresso realizado pela Swiss Continence Foundation (Fundação Suíça de Continência) na Universidade de Zurich no final do mês de Agosto/2014. O Dr. Márcio foi o representante da América Latina neste importante evento e palestrou sobre "cateteterismo vesical" e sobre "tratamento da impotência sexual em pacientes lesados medulares"."

 

01/08/2014 - CONGRESSO COLOMBIANO DE UROLOGIA

"O Dr. Márcio Averbeck participou como palestrante no Congresso Colombiano de Urologia, realizado em Cartagena de las Índias no mês de agosto de 2014. O tema da palestra foi o tratamento da incontinência urinária masculina, incluindo o implante de slings e do esfíncter urinário artificial. O Dr. Márcio foi honrado com o título de "Membro Correspondente Estrangeiro" da Sociedade Colombiana de Urologia, recebendo certificação das mãos do Dr. Maurício Plata - Presidente da S.C.U., em cerimônia oficial no dia 16/08/2014."

 

 

 

         
 
Dr. Márcio Augusto Averbeck - Todos os Direitos Reservados