Editor do Website / Membro Titular da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU). CREMERS 28361 / RQE 20242
 
 
   
ENTRE EM CONTATO
Fone: (51) 3378.9995
America Business Square
Rua Soledade, 569 Conj. 907B
Três Figueiras - 90470-340
 
 
 
DOENÇAS E MODALIDADES DE TRATAMENTO
Urologista. Saiba o quanto ele pode ser importante para você.

Quem nunca ouviu dizer que ginecologista é o(a) médico(a) das mulheres e urologista é o(a) médico(a) dos homens? Pois acreditar que o urologista cuida apenas de pacientes do sexo masculino é um engano muito comum. Mas, na verdade, este especialista cuida do trato urinário como um todo, seja em homens, mulheres ou crianças, além de tratar das doenças específicas do sistema reprodutor masculino.

 

Em outras palavras, o urologista é o especialista em problemas que atingem os rins, ureteres, bexiga e uretra (em pacientes de ambos os sexos) e que atingem os órgãos reprodutores dos homens (testículos, epidídimos, ducto deferente, vesículas seminais, próstata e pênis).

 

Os exames preventivos são fundamentais para o diagnóstico precoce de qualquer problema. O exemplo mais comum é o exame de próstata, que deve ser realizado pelos homens em média 1 vez ao ano a partir dos 40 ou 50 anos de idade (a idade e a frequência podem variar, de acordo com o histórico familiar do paciente). No entanto, também é preciso ficar atento aos sinais que o corpo dá quando algo não vai bem. Se a frequência com que você vai ao banheiro diminuiu ou aumentou muito, se o jato urinário é fraco, se há dor ao urinar ou se você tem frequentes episódios de incontinência urinária, não hesite e imediatamente procure um urologista. Esses sinais podem revelar problemas simples, mas que podem levar a outros mais graves.

 

A incontinência urinária é um dos problemas mais prevalentes. De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Urologia, uma a cada 25 pessoas sofre de incontinência urinária no país. Nas mulheres, após a menopausa, a prevalência pode chegar a 40%. Já o índice entre os homens que passaram por cirurgia radical da próstata é de 10%. Muitas pessoas não procuram tratamento porque acreditam que a perda involuntária de urina é um achado normal do envelhecimento. Outras se sentem constrangidas e preferem o isolamento social. É importante ter consciência de que a incontinência urinária precisa ser tratada e há ótimas chances de melhora ou cura.

 

O estudo urodinâmico está entre os métodos utilizados para o diagnóstico de problemas miccionais. Este estudo verifica as alterações no funcionamento do bexiga, que podem estar ocasionando a incontinência urinária.

 

Tipos de Incontinência Urinária

 

Normalmente, basta que a bexiga retenha de 100 a 200 ml de urina para que a pessoa sinta o primeiro desejo de ir ao banheiro. Um indivíduo saudável, mesmo diante dessa necessidade, poderá conter o vazamento contraindo o músculo localizado no assoalho pélvico, o esfíncter urinário. Enquanto isso, o músculo da bexiga continua relaxado para que ela continue se expandindo. A capacidade de retenção da nossa bexiga gira em tono de 300 a 600 ml. Para urinar, ocorre o inverso. A bexiga contrai e o esfíncter relaxa. Quando esses mecanismos falham surge a incontinência.

 

A incontinência urinária de esforço acontece quando há perda de mediante a atos simples: ao tossir, carregar peso, fazer movimentos mais bruscos ou atividades físicas. Nesses casos, o problema pode estar relacionado à gravidez, alterações hormonais, obesidade, constipação e infecções do trato urinário. Os exercícios de fortalecimento do assoalho pélvico representam a primeira linha de tratamento e podem resolver o problema em um grande número de pacientes. Nos casos refratários, cirurgias minimamente invasivas podem ser indicadas.

 

A incontinência urinária de urgência se refere à necessidade urgente de urinar e que é difícil de controlar, gerando perdas involuntárias de urina. Também chamada de urge-incontinência ou bexiga hiperativa molhada, acontece porque a bexiga se contrai precocemente durante o seu enchimento. Estima-se que 18% da população brasileira sofra de sintomas de bexiga hiperativa. Pode ocorrer em pessoas de ambos os sexos e em qualquer idade. Quando associada à incontinência de esforço, chama-se de incontinência urinária mista.

 

A incontinência urinária por transbordamento pode surgir em função de traumas, problemas neurológicos ou congênitos. Entre as causas, destacam-se o aumento da próstata e os estreitamentos da uretra. Este tipo de incontinência ocorre quando a bexiga não se esvazia completamente durante a micção, restando uma quantidade crescente de líquido. Dessa forma, acontece a incontinência, como o próprio nome diz, por transbordamento.



Tags: Urologista | incontinência urinária | urodinâmico |
 
 
         
AVALIE SEUS SINTOMAS
 

Tabelas de Partin

IPSS - International Prostatic Symptom Score

Escala de Sintomas do Envelhecimento Masculino

Nomograma Sobrevida Livre de Recidiva Bioquímica após Prostatectomia Radical Retropúbica

Questionário de Avaliação de Bexiga Hiperativa - OAB - V8

Diário Miccional (Modelo)

AGENDA DE EVENTOS
 
31/12/2014 - 3RD INTERNATIONAL NEURO-UROLOGY MEETING - ZURIQUE/SUÍÇA

"O Dr. Márcio Averbeck foi convidado a palestrar no congresso realizado pela Swiss Continence Foundation (Fundação Suíça de Continência) na Universidade de Zurich no final do mês de Agosto/2014. O Dr. Márcio foi o representante da América Latina neste importante evento e palestrou sobre "cateteterismo vesical" e sobre "tratamento da impotência sexual em pacientes lesados medulares"."

 

01/08/2014 - CONGRESSO COLOMBIANO DE UROLOGIA

"O Dr. Márcio Averbeck participou como palestrante no Congresso Colombiano de Urologia, realizado em Cartagena de las Índias no mês de agosto de 2014. O tema da palestra foi o tratamento da incontinência urinária masculina, incluindo o implante de slings e do esfíncter urinário artificial. O Dr. Márcio foi honrado com o título de "Membro Correspondente Estrangeiro" da Sociedade Colombiana de Urologia, recebendo certificação das mãos do Dr. Maurício Plata - Presidente da S.C.U., em cerimônia oficial no dia 16/08/2014."

 

 

 

         
 
Dr. Márcio Augusto Averbeck - Todos os Direitos Reservados